Website
18 Dezembro 2018
Aventura-te Moçambique
Um Natal em Moçambique

A Daniela Neto teve a oportunidade de, aos 23 anos, passar o Natal em Moçambique. Foi um Natal repleto de sorrisos, abraços e alegria! Caso queiras conhecer esta experiência, continua a ler este artigo!

“Era 2012, vivia em Moçambique e, nesse ano, fiquei para passar o Natal neste meu novo país.

Enquanto a família me mandava, desde Portugal, fotos de árvores de natal, ruas brancas e frias, agora enfeitadas pelas luzes quentes desta época, presépios encantados e presentes – muitos presentes -, eu e o meu amigo Pedro trilhávamos as ruas de Maputo, usando um carro emprestado, parando de porta em porta de amigos para receber as roupas, livros, brinquedos, lápis e tudo o que já não lhes servisse naquele Natal.

Dezembro é um dos meses mais quentes do ano em Moçambique e, para quem se habituou a passar este mês com o cheiro do fumo das lareiras a passear-se pelas ruas, os jingles natalícios a entrarem-nos pela casa, as montras decoradas com neve feita de algodão e as mantas que nos seguem a cobrir-nos as costas quando nos movemos da sala para o quarto, torna-se mais difícil sentir que é Natal!

Mas de peito cheio e com um coração que se engrandece sempre nestes dias, decidimos passar o dia 25 de Dezembro num orfanato. O entusiasmo era tão grande que, na azáfama das recolhas que fazíamos de carro no dia 24, ao pegar num saco mais pesado que eu, dei um jeito às costas tão grande que passei boa parte da consoada no hospital. Nada que impedisse que o dia seguinte fosse passado com 2 crianças, no mínimo, de cada vez penduradas ao meu pescoço e empoleiradas nas minhas costas.

 

206807_452858251427896_898968783_n

 

Éramos 4 – Eu, o Pedro, a Paola, e o Rodrigo – um rapaz que tínhamos conhecido uns dias antes e que estava em Moçambique a fazer reportagens.

Quando chegámos à Casa da Alegria, fomos recebidos pelas crianças que se vestiam de sorrisos e que, como adornos, traziam as suas canções e danças.

Estávamos desejosos de lhes dar tudo o que tínhamos reunido, queríamos ver as suas caras de alegria, mas as regras eram diferentes do que esperávamos: para que não houvesse distinção, as doações não eram entregues diretamente aos meninos, senão às freiras responsáveis que depois se encarregariam de as distribuir. No início, confesso, que tive uma sensação estranha de “ir com as mãos a abanar”. Era, afinal, uma sensação só de quem, naquele momento, não conseguia ver com o coração. Os presentes que nos pediam eram feitos de abraços e beijos, de ternura, de afeto e de Amor! E, isso, tínhamos de sobra.

 

12579_452859068094481_695557313_n

 

Num mundo em que dar se tornou sinónimo de compras e bens, esquecemo-nos que só estamos a dar de verdade quando damos de nós, quando nos sai da alma e do peito.

Quando o Natal tinha tudo para perder a sua essência, por estar num país quente e húmido, sem ruas enfeitadas, jingles a entrarem-me pela casa, lareiras acesas e shoppings repletos de gente a fazer compras de última hora, percebi que natal é amor, partilha, bondade e esperança.”

 

Texto escrito por Daniela Neto

NÃO EXISTEM COMENTÁRIOS.

2 Março 2017
Aventura-te Kruger, África do Su
Viagem ao Kruger

África do Sul, todas as ideias pré-concebidas, país civilizado, Natureza e paisagem a perder de vista. Confere.
Primeiro que tudo, passar a fronteira entre Moçambique e a África do Sul. Por si só é uma aventura, pelos contrastes com que somos confrontados. No fundo, caos vs ordem. Primeira missão cumprida com distinção.

1 hora depois de mudar de paisagem com uma África do Sul com boas estradas, verde e organizada, surge a primeira indicação – Kruger Park. Começa a ser real. Finalmente, a visita ao verdadeiro habitat dos animais que me habituei a conhecer de perto no Jardim Zoológico de Lisboa. Passada a Crocodile Bridge vemos a entrada do parque. Jipes de expedição parados, alguns turistas em trânsito. Já não havia dúvidas, Kruger here I go.

Bilhete e mapas comprados – bilhete mais caro apenas por ser europeia, mas ok, era o Kruger e valeria a pena. Era hora de ir ao encontro dos Big Five, ou Big 3, os que vi na realidade. Só o Leão deixou pena, seja pelo signo ou pelo simbolismo de rei da selva – posição com a qual me revejo. J

Máquina a postos, carro a andar devagar, mapas em ordem e olhos super atentos, entrando num jogo de o que veremos primeiro. E, acima de tudo, a incógnita do que iriamos ver. O primeiro avistado é o Elefante. É real e oficial. Está apenas a alguns metros e de repente pára tudo. É selvagem, sim. É enorme, confere. Esta sensação que nunca vou esquecer, a mesma quando vi o hipopótamo camuflado no lago mesmo junto ao crocodilo.

As 4 horas de viagem pelos caminhos do Kruger, ora alcatroados ora de terra batida, foram inesquecíveis. A memória mais marcante foi também, e talvez, a mais simples de todas. Uma estrada, um carro, duas pessoas e um elefante. O elefante, gigante na mesma medida em que andava de forma pachorrenta, percorria o seu caminho, independentemente de se cruzar com a estrada pela qual passava. Neste momento, percebi a nossa pequenez. Este animal de várias toneladas continuou o seu caminho, indiferente ao carro, aos olhos arregalados e ao suspirar fundo. Em direção ao horizonte, não sei bem por onde ia, pois também não seria expectável já que são uma espécie que vive em grupo. Estaria perdido ou quereria efetivamente percorrer o seu caminho sozinho?

Tranquilidade será a perfeita descrição desta viagem ao Kruger. Tudo natural e tranquilamente organizado pela Natureza, em plena comunhão e ordem. Desde os pássaros, aos macacos, aos bâmbis, aos búfalos, aos elefantes, às girafas, aos hipopótamos, aos jacarés, aos leopardos, aos tigres… e aos Leões. Aos tão desejados Leões que ficaram para ver na próxima visita. Será?

Carla Domingues, 29 anos, Lisboa
Viajante por paixão, sedenta de novas culturas e olhares diferentes.
Vive em Lisboa, mas respira diferentes países e experiências. 

NÃO EXISTEM COMENTÁRIOS.

Aventura-te é o blogue de viagens e muito mais da Allianz Global Assistance. Porque a vida é uma aventura, poderás encontrar neste blogue várias informações de destinos de viagem, momentos recheados de humor e muita comida à mistura.
Junta-te a nós e parte nesta aventura!

Adoras viajar?
Segue o nosso blogue
e conhece os novos artigos todas as semanas!