Website
23 Janeiro 2019
Aventura-te Vietname
Hoi An, uma vila encantada no Sudeste Asiático

Hoi An, vila de lanternas e alfaiates, de sorrisos soltos pelas ruas e vielas. Vila onde se caminha sem mapas, não correndo o risco de deixar escapar por entre os dedos – e os olhos – qualquer pedaço de deslumbre. Todas as ruas têm o seu quê de único. Todas as pequenas casas coloridas contribuem, de alguma forma, para acender dentro do espírito lanternas iguais às que espreitam dos telhados.

– You, hair like the sun.

Apresso-me a olhar. A senhora que me chama, de forma tão original, tem um chapéu na cabeça e um sorriso invulgarmente bonito. Chama-me outra vez, para que não fuja. Está do outro lado da pequena rua que se estende até ao Mercado Central. Aproxima-se, depois de deixar passar uma mota apressada. “Vem, vou-te fazer um vestido. Loja número 41. A melhor de Hoi An”. Respondo, tímida, que não quero um vestido, que estou somente entretida a passear pela vila. Responde, sem desanimar, que me vai mostrar a loja ainda assim. Sigo-a, com atenção ao trânsito incessante e ao chão, para não fazer das minhas e tropeçar no meio de tamanhas novidades. O Mercado enche-se de tecidos de todas as cores, que esvoaçam dos tectos altos. A loja 41 é um pequeno espaço composto por uma mesa, três jovens de cabelos soltos e fitas métricas ao pescoço e panos, muitos panos de muitos padrões. Sorrio às jovens, sorrio à senhora que ali me trouxe. Explico novamente que não quero um vestido e agradeço. Sorriem de volta e vêem-me partir, de máquina fotográfica na mão e mochila às costas.

IMG_8392_a

Caminho até me doerem os pés. É uma vila pequena, é verdade, mas por conter magia em todas as ruas não é difícil passar horas de um lado para o outro. Visito a emblemática Ponte Japonesa, construída no início do século XVII, um exemplo simples e bonito da arquitectura nipónica. Com a escultura de um macaco numa ponta e a de um cão na outra, tem o nome de Lai Viễn Kiều em Vietnamita. Tiro uma fotografia e caminho junto ao rio para não fugir ao sol. Os barcos que por ali se passeiam são vários, de todos os tamanhos e formas, muitos adornados também com as características lanternas deste porto comercial com séculos de História que é hoje Património Mundial.

Sento-me numa pequena esplanada numa das ruas mais movimentadas, a escassos passos do Mercado, e limito-me a observar, enquanto bebo um sumo de ananás e petisco com pauzinhos – sem jeito, com perseverança – o típico Cao L´âu. Vejo passar uma senhora com cestos de fruta pendurados aos ombros. Vejo crianças de pés descalços a correr atrevidamente pelas bancas de vegetais. Vejo a vida – simples – que aqui se vive. E, assim, sei. Sei que, não tarda, estarei a chamar casa a este país num canto tão distante do Mundo. Sei que, não tarda, estarei a chamar casa ao Vietname.

 

Testemunho escrito por Isadora Freitas.

NÃO EXISTEM COMENTÁRIOS.

19 Outubro 2017
Aventura-te Ásia
Teresa à descoberta da Ásia

Aos 23 anos a Teresa decidiu sair da sua zona de conforto e partir à descoberta de si mesma e do Mundo. Em Janeiro partiu sozinha para a Ásia, onde visitou 3 países, fez voluntariado, conheceu novas pessoas e culturas e experienciou uma série de aventuras.
Hoje partilhamos o seu testemunho...

Acabou o bem bom. Foi assim num piscar de olhos e numa mão cheia de grandes aventuras que 3 meses se passaram. E neste regresso a sensação é ambígua, uma verdadeira luta entre a ânsia de voltar e a vontade de continuar.

A 14 de Janeiro não sabia quando iria ser o meu regresso, não fazia ideia se seria apenas um mês ou mais que três. Não tinha bilhete de volta e sem pensar muito fui deixando as coisas acontecer, o plano era não ter plano nenhum.

Saí de Portugal apenas com uma certeza, o Nepal seria o primeiro destino. Não sabia se iria a 2, 3 ou a mais países, tudo era possível. E é bom ter tudo em aberto, dá-nos a oportunidade de mudar de ideias sem medos.

Mas o receio existe e sem piedade atingiu-me logo na primeira noite no Nepal. Afinal que ideia maluca era a minha de sair do meu conforto e enfiar-me sozinha num país asiático?! O coração batia acelerado, como nunca antes, e por momentos pensei que não seria capaz. Mas fui.

Em três meses conheci três países que me deram não só uma lufada de boas paisagens como reforçaram a minha ideia de que o mundo é sempre mais do que pensamos.

Do Nepal fica o povo carinhoso, a generosidade daqueles que nos vêm como ajuda, lugares de tirar o fôlego e uma experiência que me pôs a trabalhar na construção. Podemos sempre dar mais do que imaginamos e viver com menos do que pensamos. Do Nepal, a gratidão.

 

teresa

 

Do Vietname adrenalina, muita adrenalina. E ao mesmo tempo muita calma. Do Vietname o passeio e o voluntariado, o conhecer e o sentir mais. Na loucura das estradas e na paz do campo o Vietname não se esquece.

 

teresa3

 

Da Tailândia, em dose dividida, primeiro o norte e depois o sul, fica o encanto do Norte, da sua simplicidade e da paz que se encontra sem procurar. O norte e os elefantes, o inesquecível. Do sul a agitação, o turismo e as ilhas. Banguecoque esquizofrénico que consegue ser muitos numa só cidade. Banguecoque das baratas na rua e no prato, das ratazanas na rua e no centro comercial, onde a vida animal não se importa com a urbanização. Das ilhas um amor crescente. A Tailândia é mais do que se vê e nunca vai ser possível decifrar todos os seus segredos, fica o encanto desta pérola da Ásia.

 

teresa2

 

Desta loucura toda fica a certeza que o que importa não é o lugar, o dinheiro ou tempo. O que importa é a vontade e o empenho que pomos nos nossos objetivos.

Ficam três países, dezenas de viagens, onze aviões, doze autocarros, seis barcos, um night train asiático, quatro motas, seis tuk tuk, treze hosteis, seis hotéis, uma tenda numa montanha nepalesa, noites no aeroporto, vinte e duas camas em que este corpinho repousou, duas malas que foram a minha segurança e o meu desespero, uns quantos euros, rupias, dongs e bahts a menos. Fica um turbilhão de sentimentos que não se consegue explicar.

O que agora termina não vai tardar a recomeçar e entre as obrigações, paixões e  viagens vou vivendo sem muita pressa de crescer.

A minha avó apelida-me de “excursionista”, acha que lhe sigo as pisadas nas grandes excursões que com o meu avô os levaram a muitos sítios, não se lembra quais… muitos chega.

NÃO EXISTEM COMENTÁRIOS.

21 Julho 2017
Aventura-te Mundo
O nosso Top 5 de Youtubers de Cozinha

És fã de canais de Youtube mas ainda não subscreveste nenhum canal sobre cozinha internacional? O teu prato de assinatura é massa com atum? Chegou a altura de mudar o jogo! Com a nossa lista vais ter acesso aos melhores e mais carismáticos youtubers e a uma coleção infindável de receitas para todos os gostos, carteiras e apetites para poderes fazer um brilharete no próximo jantar de amigos. De nada :)

RECEITAS DE MINUTO

Gisele Souza tem 30 anos, mora em São Paulo, é designer, mas é a sua paixão pela cozinha tem falado mais alto ultimamente. Em 2010 criou o blog “Receitas de Minuto” que rapidamente se transformou num canal de Youtube e, mais recentemente, num livro. O canal funciona como uma plataforma de receitas rápidas, práticas e económicas que qualquer pessoa sem experiência pode fazer (quando Gisele criou o blog o seu objetivo era ensinar o irmão que nem sabia estrelar um ovo) e há vídeos novos todas as segundas e quintas!

 

GASTRONOMISMO

Isadora Becker é formada em Gastronomia e é a cara e a mente por trás do canal “Gastronomismo”. Para ela a sua missão é mostrar a todos que cozinhar não é difícil e que é possível fazer pratos de “chef” no conforto das nossas casas.

Isadora já trabalhou com marcas conceituadas e terminou recentemente de gravar uma temporada com a Sony Brasil onde aborda receitas inspiradas em séries e filmes, tais como: “Caça Fantasmas”, “Homem-Aranha”, “Tartarugas Ninja”, “A Anatomia de Grey”, “Era Uma Vez” ou “Seinfeld”.

 

WORLD KITCHEN

Nici Wickes é a estrela deste canal que funciona como uma plataforma para uma série de culinária e viagens. Wickes viaja por todo o mundo para ganhar inspiração para novos pratos que depois recria nos próprios locais ou na sua cozinha. Este canal está repleto de experiências e receitas internacionais e é um ótimo programa de inspiração (culinária e não só).

 

JAMIE OLIVER

Nesta altura do campeonato Jamie Oliver já não é desconhecido de ninguém… Para além de inúmeros livros e séries de culinária, o cozinheiro britânico está também presente no Youtube. Neste canal podes encontrar receitas para todos os gostos e apetites, receitas específicas para dias comemorativos e ainda pratos típicos de países conhecidos pela sua gastronomia como Itália, Índia ou Vietname.

 

LAURA IN THE KITCHEN

O percurso culinário de Laura começou enquanto criança com a sua avó em Nápoles. A italiana, autodidata, mudou-se depois para os Estados Unidos mas a sua paixão por comida caseira não ficou por aí e depois de ter trabalhado nos restaurantes do seu pai, Laura decidiu criar um canal de Youtube onde partilha esta sua paixão com todos nós. Aqui vais poder encontrar centenas de receitas da chamada “comfort food” (comida reconfortante), bem como os clássicos pratos italianos. Yuumm!

 

Ficamos à espera de fotografias dos próximos pratos… Ou de um convite para jantar 😉

Bon appétit!

NÃO EXISTEM COMENTÁRIOS.

Aventura-te é o blogue de viagens e muito mais da Allianz Global Assistance. Porque a vida é uma aventura, poderás encontrar neste blogue várias informações de destinos de viagem, momentos recheados de humor e muita comida à mistura.
Junta-te a nós e parte nesta aventura!

Adoras viajar?
Segue o nosso blogue
e conhece os novos artigos todas as semanas!