Website
24 Abril 2019
48 horas em Veneza

Tão intensa quanto fugaz; tão bela quanto dramática. Uma visita a Veneza em 48 horas assemelha-se às inquietações de uma paixão assolapada. E que melhor dedicatória se poderia fazer ao símbolo do romantismo? Vem daí, sem medo de perder e pronto para saborear todos os momentos de uma das cidades mais amadas do Mundo.

Imagina uma cidade em que as sombras dos carros desaparecem, a velocidade das motas se eclipsa, os autocarros deixam de ser os mandões lá do sítio. Imagina uma cidade em que todos eles foram substituídos por singelos barcos e sons de salto alto (ou de serenas passadas, para quem não aprecia o primeiro estilo).

Em Veneza, o Grande Canal abrilhanta as ruelas, ornamenta os palácios das famílias que povoam um lugar sem pressa. Poderíamos estar na Ponte de Rialto a pintar este quadro, conhecido pelos gondoleiros como a mão da mão. Mas já se faz tarde e a fome aperta o estômago de quem pertence a uma cozinha de grande panóplia – a portuguesa. Assim, descemos a ponte, dirigindo-nos ao Mercati di Rialto, aquele em que se encontra o perfume de Veneza. O perfume, as cores, as texturas e as vozes. É neste mercado que os vendedores regateiam com os habitantes e os curiosos turistas.

Resultado de imagem para Grande Canal veneza

 

A digestão pode ser feita à beira da igreja Sant Maria della Saluta, um dos mais imponentes marcos arquitetónicos da cidade: é suportada por cerca de um milhão de pilares de madeira. De estilo barroco, esta edificação tem um simbolismo muito especial para a população por causa da peste, que assolou os sítios em 1630 e quase dizimou Veneza. Antes de recolhermos ao quarto, passamos por Dorsoduro, o bairro cultural e artístico que melhor resistiu à transfiguração.

Resultado de imagem para Santa Maria della Salute

 

Guardamos a Piazza San Marco para o segundo dia – como quem guarda a sobremesa para o final. A praça mais conhecida deste ponto de Itália sempre foi o centro político, social e religioso da república local. Esforça-te para te alheares da multidão, agora parte da mobília, porque vale a pena contemplar cada detalhe. O mesmo te pedimos quando chegares à Basilica di San Marco, a estrela da praça, famosa por combinar os estilos arquitéctónicos do Ocidente e do Oriente. Entramos e deslumbramo-nos com o luxo dos inúmeros painéis em mosaico, arrebatadores por natureza.

Resultado de imagem para Basilica di San Marco

 

Dedicamos o tempo que falta para completar as 48 horas ao Palazzo Ducale, antiga residência oficial dos governadores, à Ponte dos Suspiros, anterior prisão, e ao Campanile di San Marco, dono da melhor vista panorâmica veneziana. Nada será mais metafórico do que terminar o roteiro a olhar para o edifício da Torre dell’orologio, no qual terás de desvendar o puzzle das horas e todas as simbologias alusivas à passagem do tempo.

Resultado de imagem para Palazzo Ducale

 

E pronto… já passou. A cidade, sem pressa, não vai a lado nenhum. Assim, aproveita esta primeira paixão para que, mais tarde, a história se possa vir a transformar num longo amor de horas indefinidas.

NÃO EXISTEM COMENTÁRIOS.


27 Fevereiro 2019
5 Destinos de Viagem Baratos e Surpreendentes

No artigo de hoje, escolhemos destinos surpreendentes mediante a relação destino/custo, claro. É (bem) possível comprar bilhetes de avião a preços acessíveis para visitares países que já correste nos teus sonhos, basta definires a altura certa do ano. Este artigo faz-te metade do trabalho. Dizemos-te onde, quando e damos-te uma ideia dos preços. Não precisas de agradecer!

Como se diz Páscoa em sérvio?
“Em Abril, tiro uns diazinhos”. Não é um ditado popular, mas, de tantas vezes repetida, torna-se expressão consensual entre as gentes. A culpa é do Tempo Pascal daquele mês, período que os portugueses aproveitam para recarregar baterias, ‘prolongando’ o feriado da Sexta-Feira Santa. Nem de propósito, sabes como se diz Páscoa em sérvio? O Novo Jardim, que é como quem diz Novi Sad – cidade no norte da Sérvia situada sobre o rio Danúbio –, será um óptimo lugar para aprender. Há quem defenda que é a cidade mais charmosa do país, colocando-a até à frente da capital, Belgrado, a uma hora de distância. Apreciares a paisagem a partir da Fortaleza de Petrovaradin ou perderes-te nos sabores de restaurantes com estrelas Michelin não te irá esvaziar os bolsos, porque os preços dos transportes (de táxi, média de 0,50€ por km) e da alimentação (média de 5€ por refeição) cabem na carteira. Andar a pé também deve ser opção, uma vez que os mercadinhos de frutas e verduras, orientados pelos ambulantes, pintam os calçadões de cores agradáveis.

Resultado de imagem para novi sad sérvia

 

Ao sol numa mini-cidade medieval
Em Brasov, na Roménia, a temperatura média em Junho é de 16 graus. Nessa altura, já se sente nitidamente a diferença de clima entre o Verão, que tem para oferecer um reconfortante sol, e o Inverno, época que pode fazer os termómetros descer aos -10 graus. Se a região da Transilvânia te apaixona, adiantamos-te que este é o mês ideal, financeiramente falando (média de 0,50€ por km de táxi; média de 5€ por refeição; média de 40€ por noite num hotel de três estrelas), para ‘invadires’ uma das zonas mais visitadas do país: o centro histórico de Brasov. A panóplia de interesses vai desde a Casa Sfatuluit, construída no século 13 e actual Museu de História da cidade, à Igreja Negra, uma construção gótica de tijolo da cor que lhe dá nome, bem perto da Rua da Corda, a mais estreita da Europa, com 1,3 metros de largura. Trocar as praias pelos bastiões que serviam de ponto de observação, erguidos em 1494, será interessante e pouco dispendioso.

 

Cabe um Património Natural da UNESCO no teu Agosto?
Em Ocrida (Macedónia), todos os caminhos vão dar ao lago Ohrid, e o mês de Agosto é o mais económico para lá chegares. As refeições entre montanhas que chegam aos 2.800 metros rondam os 5€ e nos hotéis de três estrelas, num local que tem o título de Património Natural da UNESCO, não costumam gastar mais do que 40€ por noite. Caso a tua cabeça esteja a ansiar por praias, elas não te vão faltar, sabendo que tens de trocar a areia pelo chão de pedras. Também encontrarás a típica ruela lotada de bares e restaurantes, para desfrutares dos ares noturnos de Verão. Chama-se Old Bazaar, sendo que as adjancentes ‘desaguam’ nas muralhas da cidade (Mesokastro). Ficarás diante da melhor simbiose entre a beleza da natureza e a riqueza histórica.

 

A ‘Riviera Russa’
A prova de que Sochi é das cidades com um dos climas mais amenos da Rússia prende-se nos 16 graus de temperatura média em pleno… Outubro, que é quando a viagem para a zona nas proximidades do Cáucaso e do Mar Negro se torna mais rentável (táxi: média de 0,25€ por km; refeição: média de 6€; noite em hotéis de três estrelas, média de 29€). Volta a pronunciar. Sochi. O nome não te é estranho, pois não? A cidade ganhou relevância depois de ter acolhido os Jogos Olímpicos de Inverno em 2014 e o Campeonato do Mundo de 2018. Mesmo que, nessa altura, não seja tão agradável desfrutares das praias da intitulada ‘Riviera Russa’, experimenta as escorregadelas nas montanhas de Cáucaso, onde podes esquiar, ou as florestas, que são Património Mundial do país. A carta gastronómica é curiosa, pois tem uma enorme influência da Geórgia, com o queijo e a massa enquanto ingredientes principais. Resumindo, Sochi está para os russos, como o Algarve está para os portugueses.

Resultado de imagem para sochi

 

O Natal é zen
E que tal planeares passar o próximo Natal na sexta maior cidade da Tailândia, Chiang Mai? Em Dezembro, vale muito a pena, além de que foges do caos de Bangkok para o sítio mais zen da Tailândia, capital espiritual do país, batendo o número de templos budistas existentes. É verdade, ultrapassam os 300! Andar de táxi (média de 0,25 por km) nem faz sentido, pois a antiga capital do reino de Lanna, construída em 1296, ‘grita’ por um bom passeio de bicicleta (podes alugar). Como não irás gastar muito dinheiro nas refeições (média de 1,34€) ou nas estadias (média de 36€ em hotéis de três estrelas), procura uma recordação nas feirinhas e nos night bazzar, que também são óptimos locais para experimentares as tradicionais linguiças – só se tornará difícil escolher o tipo, uma vez que há de porco, frango, soja e até de peixe! Delicia-te.

Ainda tens dúvidas de que um planeamento económico eficiente é o primeiro esboço para as tais férias inesquecíveis?

 

NÃO EXISTEM COMENTÁRIOS.


19 Fevereiro 2019
48 horas em Dublin

Tens um fim-de-semana livre e queres aproveitá-lo para uma escapadinha? Temos o destino ideal para ti: Dublin. Lê o este artigo com muita atenção, porque vais ficar a saber tudo o que podes fazer nesta cidade em 48 horas!

 

Dia 1

Prisão de Kilmainham

Kilmainham Gaol é uma antiga prisão em Kilmainham, em Dublin, onde muitos revolucionários irlandeses foram presos e executados pelos britânicos. Atualmente, é um museu com visitas guiadas que te vão levar a conhecer toda a história deste lugar.

 

Guiness StoreHouse

Se estiveres em Dublin, não podes deixar de passar pelo armazém de produção da cerveja Guiness. Aqui poderás conhecer todo o processo de produção da cerveja, bem como a sua história e aprender a tirar uma “pint” perfeita. Este armazém conta com sete andares, sendo que no último, o terraço, poderás desfrutar de uma cerveja com uma das melhores vistas para a cidade. Visita o site da Guiness StoreHouse e fica a par de tudo aqui.

 

Temple Bar

Ao fim do dia poderás visitar o Temple Bar, uma zona de bares, pubs, restaurantes e artistas de rua junto à beira-rio, com ruas pedonais – uma excelente oportunidade para desfrutar de um belo jantar e uma pint. Neste bairro, poderás encontrar pubs concorridos com música popular e DJs, restaurantes asiáticos, americanos e irlandeses e ainda, lojas locais com vestuário e artesanato de designers.

 

Dia 2

Castelo de Dublin

Construído no século XVIII, este castelo é uma das atrações turísticas mais visitadas de Dublin, tendo sido, até 1922, a sede fortificada do governo britânico na Irlanda. Após a formação do Estado Livre Irlandês em 1922, o castelo assumiu funções de complexo judicial e hoje alberga gabinetes de Comissários de Receita.

Imagem relacionada

 

Catedral da Santíssima Trindade
A Christ Church Cathedral destaca-se como um dos templos mais importantes da cidade de Dublin, tendo começado como um pequeno templo de madeira criado pelo rei viking Sitric em 1038. Entre o século XII e o século XVIII deu-se a construção da atual igreja de pedra. Sobre a igreja irás encontrar a estrutura de Dublin, uma cripta do século XII, onde poderás ver algumas exposições e tomar algo na cafetaria.

 

Saint Stephen’s Green
Este é um dos parques públicos mais antigos da Irlanda e está situado no final da Grafton Street, uma das ruas mais concorridas e visitadas de Dublin. Aqui poderás aproveitar para relaxar antes do teu voo e apreciar os seus belos jardins enquanto bebes a tua última cerveja Irlandesa.

Estes são os sítios que deves visitar para aproveitar as tuas mini férias ou fim-de-semana e ficar a saber (quase) tudo sobre Dublin, apenas em 48h. Boa viagem!

NÃO EXISTEM COMENTÁRIOS.

Lamentamos, os comentários estão fechados!

Aventura-te é o blogue de viagens e muito mais da Allianz Global Assistance. Porque a vida é uma aventura, poderás encontrar neste blogue várias informações de destinos de viagem, momentos recheados de humor e muita comida à mistura.
Junta-te a nós e parte nesta aventura!

Adoras viajar?
Segue o nosso blogue
e conhece os novos artigos todas as semanas!