Website
21 Dezembro 2018
Sentir o Natal pelo Mundo

Não sei se todos sentem um gostinho especial por esta época do ano como eu… não sei se são as luzes, as músicas, o espírito solidário, o dar e receber ou a união familiar, mas a verdade é que é uma época em que parece tudo me parece mágico!

O ano passado passei grande parte do mês de Dezembro na Índia, país de uma intensidade extrema, cheio de contrastes e murros no estômago e acabei por desconstruir um pouco a ideia que tinha do natal em si. Desengane-se quem pensa que o meu maior choque foi lá, não foi, o verdadeiro choque foi sentido quando voltei à realidade ocidental e mergulhei na loucura consumista desmedida, quando aterrei na desenfreada busca pelo presente, pelas listas de afazeres e tradições a que estamos habituados. Aos poucos voltei a sentir a magia de sempre mas ao viajar ganhamos maior consciência e deixamos de olhar apenas para o nosso umbigo.

Se o Natal tal e qual como o conheço me encanta, igualmente me fascina perceber como ele é celebrado pelo mundo. E de facto é fascinante perceber que, não importa o idioma e muito menos o clima, cada país segue uma tradição e adopta lendas e os costumes festivos à sua maneira, alguns bastante peculiares. Venham comigo nesta mini viagem por alguns Natais por ai…

Na Grécia – Kala Christouyenna

NA Grécia ao invés de sem dar presentes para cada membro da família, as pessoas doam presentes a hospitais e orfanatos. Durante os doze dias de Natal as famílias gregas acreditam que duendes podem vir à Terra causar danos, e tentar afastar a má sorte. Os gregos colocam um pequeno pedaço de manjericão em volta de uma cruz de madeira, que é mantido numa tigela de madeira.

 

Nas Filipinas – O festival das Lanternas

Ligligan Parul Sampernandu é o gigante festival das Lanternas que se realiza todos os anos no sábado anterior à véspera de Natal na cidade de São Fernando, a capital do Natal das Filipinas. O festival atrai espectadores de todo o mundo. Onze aldeias (barangays) participam no festival e competem enquanto todos contribuem para tentar construir a lanterna mais espectacular. Lanternas que eram originalmente criações simples com cerca de 60 centímetros de diâmetro, feitas de papel e acesas apenas com uma vela, transformaram-se em enormes criações de variados materiais, iluminadas por lâmpadas eléctricas podendo atingir até 6 metros.

 

Na Holanda – Vrolijk Kerstfeest

A Holanda tem uma tradição algo polémica: a festa do Zwarte Piet (Pedro Preto), que seria o ajudante negro do pai natal. No dia 5 de dezembro as pessoas pintam o rosto de preto, usam perucas e desfilam nas ruas. A 06 de dezembro as famílias celebram e as crianças encontram os sapatos que tinham sido deixados com feno e açúcar na noite anterior, cheios de doces.

 

Na Suécia – Gävle Goat

Uma cabra natalícia de 13 metro de altura é construída no centro da Praça do Castelo de Gävle para o advento, uma tradição de Natal sueca desde 1966 que levou a uma outra espécie de “tradição” – pegar fogo À dita cabra.

 

Na Colômbia – Día de las Velitas

O Dia das Velinhas marca o princípio da época de Natal na Colômbia. Em honra da Virgem Maria e da Imaculada Conceição, as pessoas colocam velas e lanternas de papel nas janelas, varandas e jardins. A tradição das velas tem crescido pelo país todo e agora aldeias e cidades inteiras iluminam-se com exibições elaboradas e muitas delas competem entre si, como é o caso de  Quimbaya, conhecida pelos arranjos mais impressionantes.

Em Espanha – La Navidad

Em Espanha as celebridades são os Reis Magos e só no dia 6 de janeiro, dia de Reis, é que os espanhóis realizam a troca de presentes. Na noite de 5 de Janeiro ocorre a cavalgada dos reis que enche as ruas de alegria, os reis desfilam montados em cavalos, camelos ou carros alegóricos e jogam presentes e doces para as crianças. Nessa noite come-se  o desejado “Roscón de reyes. A “Nochebuena”  véspera de Natal, as famílias também se reúnem para a ceia de Natal e depois assistem à tradicional missa do Galo.

Na Áustria, Krampus

Krampus (o comparsa maligno do São Nicolau) é uma das tradições de natal mais tenebrosas, com o intuito de assustar crianças em espírito festivo. Na tradição Austríaca, o São Nicolau recompensa os meninos bem comportados, enquanto o Krampus captura as crianças mais malandras e leva-as no seu saco. Um demónio monstruoso vagueia pelas ruas da cidade a assustar miúdos e a castigar os que se portam mal. Na primeira semana de dezembro, homens novos vestem-se de Krampus (especialmente na véspera do dia de São Nicolau) para assustar os miúdos com correntes ruidosas e sinos. Viena é igualmente uma das cidades mais procuradas durante a festividade uma vez que cidade se transforma em lugar encantado, com mercados natalícios, luzes e coros do mundo inteiro que se exibem em diversos pontos da cidade.

 

No Uruguai – Noche Buena

As famílias reúnem-se em casa dos avós ou parentes mais velhos. É tradição a “picadita”, que consiste na preparação e degustação de aperitivos frios, queijos, uísques, vinhos, pedaços de cordeiro ou leitão antes da ceia e ao longo da noite de Natal.

 

Na Bulgária – Tchestita Koleda

A época do natal é muito importante na Bulgária. Na véspera uma grande festa é preparada, com pelo menos 12 pratos individuais que representam cada mês do ano. Nenhum destes pratos pode conter carne. No dia de Natal as famílias búlgaras reúnem-se à volta do fogo para comer salsicha de sangue e fazer desejos para o próximo ano.

 

Na Islândia – O Yule Lads

Na Islândia natal significa diversão! 13 personagens travessas e marotas tipo troll (os Yule Lads) saem para brincar e visitam as crianças à volta do país durante as 13 noites até ao Natal. Por cada uma destas noites, as crianças colocam os seus melhores sapatos ao pé da janela e um Yule Lad diferente faz uma visita cada noite deixando presentes aos meninos bem comportados e batatas podres aos que se portam mal. Vestidos em trajes tradicionais islandeses, estas personagens são bem malandras, e os seus nomes apontam à natureza da desordem que gostam de causar: Stekkjastaur (Perturbador de ovelhas), Giljagaur (Perturbador das vacas), Stúfur (Atarracado), Þvörusleikir (Lambedor de colheres), Pottaskefill (Rapador de tachos), Askasleikir (Lambedor de tijelas), Hurðaskellir (Bate-portas), Skyrgámur (Devorador de Skyr), Bjúgnakrækir (Ladrão de salsichas), Gluggagægir (Espião de janelas), Gáttaþefur (Farejador de entradas), Ketkrókur (Gancho de carne) e Kertasníkir (Ladrão de velas). Divertido não?

 

Na Dinamarca – Glædelig Jul

Os Dinamarqueses acreditam que um duende travesso chamado Nisse pode aparecer caso as pessoas se esqueçam de deixar uma tigela de pudim de arroz para o duende, caso contrário, não serão defendidas contra o mal.

 

Na Noruega – As vassouras escondidas

Talvez uma das mais pouco ortodoxas tradições de natal. Na Noruega as pessoas escondem as suas vassouras, numa tradição com séculos de existência, que remonta a uma altura em que as pessoas acreditavam que bruxas e espíritos malignos apareciam na véspera de Natal à procura de vassouras para montar. Por incrível que pareça, até hoje, muitas pessoas ainda escondem as suas vassouras na parte mais segura da casa para impedir que sejam roubadas.

 

Na Ucrânia – as teias de aranha

Os ucranianos costumam decorar a árvore de Natal de uma maneira muito peculiar, com teias de aranha. A tradição remonta a um antigo conto ucraniano, a história de uma família que era tão pobre que não tinha dinheiro para decorar a árvore. Na noite de natal, ao ouvir os lamentos, as aranhas da casa teceram uma teia à volta da árvore que, com a primeira luz do dia, se transformou numa magnífica teia feita de ouro e prata. A teia de aranha passou a simbolizar prosperidade.

 

Texto escrito por Rute Obadia, autora do blogue The Blondie Traveller

NÃO EXISTEM COMENTÁRIOS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.



Aventura-te é o blogue de viagens e muito mais da Allianz Global Assistance. Porque a vida é uma aventura, poderás encontrar neste blogue várias informações de destinos de viagem, momentos recheados de humor e muita comida à mistura.
Junta-te a nós e parte nesta aventura!

Adoras viajar?
Segue o nosso blogue
e conhece os novos artigos todas as semanas!